Laysla Santos tem 18 anos e sempre sonhou em ser modelo para seguir os passos da irmã mais velha, Jennifer Nunes. De uma família de quatro irmãos, que sempre morou no bairro Ipiranga, em Ribeirão Preto, ela vem superando os desafios e vencendo a timidez, conquistando o mundo com trabalhos incríveis para marcas internacionais. Teve que deixar de lado os poucos compromissos de adolescente para encarar o trabalho no exterior. Passou por Barcelona e México e agora está se preparando para o seu maior desafio: modelar em Tokyo. Confira a entrevista.

IFA: Como surgiu o sonho de ser modelo?
Laysla: Desde pequena, quando minha irmã mais velha ainda era modelo. Eu sempre a admirei e sempre quis seguir os passos dela, que sempre me mostrava modelos como Gisele [Bündchen] e Naomi [Campbell], que sempre me serviram de inspiração.

IFA: Quais foram as dificuldades encontradas no início da carreira?
Laysla: Uma das minhas dificuldades foi a timidez, sempre fui muito tímida desde pequena e no trabalho como modelo temos que ser mais “sociáveis”. Eu não tinha muito a “atitude” de modelo e precisei trabalhar muito nisso, posso dizer que estou melhor, mas temos que melhorar cada vez mais. Outra dificuldade é manter as medidas, sempre é um grande desafio para mim e acredito que para muitas modelos, mas estou sempre tentando o meu melhor.

IFA: Qual foi o seu melhor trabalho realizado até agora?
Laysla: Eu fiz trabalhos incríveis até agora e que sempre vão ficar na minha memória, mas o mais inesquecível foi o desfile que eu fiz para Dolce&Gabbana. Eu realizei esse grande show no México e fui memorável.

IFA: Como era sua vida e sua rotina antes? E como está sendo tudo agora no exterior?
Laysla: Minha rotina antes de começar a trabalhar fora do Brasil era como a de qualquer adolescente “normal”. Eu estudava, saía com os amigos e ficava com a família. Eu viajo sozinha, por mais que eu ame a minha mãe e seria maravilhoso viajar com ela. Eu preciso amadurecer na carreira e viajar com ela seria tê-la para fazer tudo por mim e eu preciso dessa independência para poder saber trabalhar.

IFA: Quais os sonhos que você ainda quer realizar?
Laysla: Tirando as minhas metas como modelo, eu quero poder ajudar a minha família e me formar em algo que eu goste muito, que no momento é Psicologia.

IFA: Como você vê o mercado da moda nos dias de hoje?
Laysla: O mercado da moda cresceu muito com o tempo, temos marcas grandes no mundo todo e outras que estão conquistando espaço. Mas entre as modelos a concorrência é grande, são milhares de modelos com o mesmo sonho e apenas uma pode conseguir a vaga. Eu vejo o mundo da moda assim, uma concorrência. Você tem sempre que mostrar que é capaz e que pode ser a melhor.

IFA: Você esperava esse sucesso de um dia para o outro?
Laysla: Sucesso? Eu não diria bem sucesso. Eu ainda estou começando a carreira e não posso ser tão precipitada.

IFA: E como é a responsabilidade do trabalho sendo tão nova?
Laysla: É um pouco difícil, você tem que estar sempre atenta e sempre administrando o seu trabalho, lógico que você tem sua agência, sua mãe e as pessoas que olham por sua imagem, mas é complicado. Você tem que viajar sozinha e sempre ficar esperta porque cada mês é um país novo, mas apesar de ter esse medo e essa “pressão” sempre vale a pena no final.

IFA: Quais os trabalhos que fez no exterior?
Laysla: Meus trabalhos recentes foram: DNA Magazine, ELLE Magazine, L’Offciel Magazine, Maire Claire Magazine, Cosmopolitan Magazine, Instyle Magazine e fiz o desfile da Dolce&Gabbana. Esses trabalhos aconteceram no México. Fiz outros desfiles para estilistas mexicanos e pude participar do Fashion Week do México, onde tive o prazer de desfilar para dois estilistas. E também fiz um trabalho em Barcelona para o site da Vogue.

Fotos: Reprodução Facebook

Tags

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

top